Ansiedade é doença?

4 de dezembro de 2020 by in category Sem categoria with 2 and 0

ansiedade

Este é um assunto muito falado atualmente e que pode trazer diversas alterações à saúde, porém ansiedade não é uma doença mas sim uma sensação natural que todos nós temos em algum nível. A ansiedade nos coloca em alerta e expectativa a respeito de algo que está por vir ou sobre algum problema ou perigo.

No entanto, quando o sujeito não consegue dar conta dessa ansiedade (proveniente da angústia), ela passa a se manifestar fora de qualquer ocasião específica, e gera sintomas que modificam o funcionamento do corpo e também dos pensamentos e emoções. Aí já podemos considerá-la como um  transtorno de ansiedade, ou seja: quando essa condição natural foge do controle e se instala de modo mais fico e intenso.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira abaixo e entenda mais sobre esse tema de saúde mental!

Características do transtorno de ansiedade

As doenças geralmente são classificadas desta forma por terem causas específicas, ao contrário das síndromes e transtornos, quando os motivos podem ser diversos e os sinais e sintomas podem acontecer ao mesmo tempo, bem como se manifestarem de forma diferente de uma pessoa para outra.

É isso que acontece com o transtorno de ansiedade. Aparecem sintomas físicos e há também mudanças de comportamento, geralmente desencadeadas por algum gatilho que nem sempre conseguimos identificar. Os principais são:

  • Tremores;
  • Falta de ar;
  • Respiração ofegante;
  • Coração acelerado;
  • Picos de medo;
  • Dor ou “aperto” no peito;
  • Suor excessivo;
  • Sensação de morte ou de estar paralisado.

Porém, aprender a lidar com tudo isso pode ser importante para nosso crescimento em diversos aspectos. Por exemplo: uma pessoa que não mostra suas ideias em reuniões porque o medo e ansiedade tomam conta antes mesmo de fazer a apresentação pode acabar perdendo uma importante promoção na carreira. 

Tipos de Transtorno de Ansiedade

O desequilíbrio na ansiedade natural explicada no início do artigo pode se apresentar de diferentes formas, por isso pode ser classificado como:

Transtorno de Ansiedade de Separação: Acomete principalmente crianças e adolescentes que precisam ou são forçados a se separarem dos pais ou cuidadores.

O afastamento dos responsáveis ocorre em um momento que a criança não está com maturidade psicológica suficiente para compreender o que está acontecendo e, assim, o problema acaba se desenvolvendo.

O sofrimento, que pode ser intenso, dura por, pelo menos, 4 semanas e pode causar problemas de grande magnitude na vida da criança e, quando não tratados, podem ser levados para a vida adulta, como a insegurança, por exemplo.

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG): Causa uma preocupação, medo e pânico de maneira excessiva e até irracional. Por exemplo: o medo de sair de casa é tão grande que a pessoa não consegue se afastar por muito tempo, ou não aceitar oportunidades de trabalho excelentes por ter que ir para longe, e isso é mais forte do que ela.

Há também o medo de tentar qualquer coisa que seja nova. Ir para uma academia diferente, uma graduação nova e passar por uma crise de ansiedade  — quando pelo menos três sintomas se manifestam ao mesmo tempo  — num desses lugares “desconhecidos”. Toda essa angústia chega a ser paralisante em alguns casos.

Fobia Social: Quem sofre com esse tipo de ansiedade fica com um medo constante do julgamento dos outros, de ser humilhado ou ridicularizado na frente de outras pessoas, bem como de acabar acontecendo qualquer coisa que a faça sentir vergonha, como tomar um tombo num parque ou falar algo inadequado.

Por tudo isso, quem tem fobia social acaba se isolando o máximo possível. Assim, os pacientes evitam falar em qualquer ambiente público, mesmo que seja algo simples como tirar uma dúvida na sala de aula. Usar o banheiro público, escrever na frente de outra pessoa, estar numa roda de amigos e conversar à vontade também são situações conflitantes.

Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT): Nestes casos, a pessoa tem flashes ou pesadelos de situações negativas marcantes que aconteceram no passado. Pode ser algum tipo de abuso, a perda de alguém, um acidente, algo muito doloroso que tenha vivenciado de perto. Caso não receba o tratamento adequado, o paciente passará o resto da vida revivendo o acontecimento como se ele, de fato, estivesse se repetindo.

Síndrome do Pânico: Cada vez mais ouvimos falar de pessoas com esta síndrome. Normalmente, não há nenhum motivo aparente, mas pode ser desencadeada por diferentes gatilhos e os sintomas físicos são bem parecidos com os de um ataque cardíaco.

Sua principal característica é a ocorrência frequente de crises de ansiedade, que podem ocorrer de forma inesperada e aparecer mesmo durante o sono, afetando as relações sociais e de trabalho, a saúde e a qualidade de vida.

Quando não tratado corretamente, o Transtorno de Ansiedade pode levar a outras doenças como gastrites, colites, hipertensão, depressão, alergias, taquicardias e outras. Por isso, é fundamental procurar ajuda profissional para fazer o diagnóstico correto e tratamento adequado. Sessões com o psicólogo e, em alguns casos, consultas com o psiquiatra são essenciais para retomar equilíbrio e bem-estar.

Conhece alguém que pode estar com o problema? Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude outras pessoas!

2 Comments

Add comment

PSICOLOGIA ABERTA 2020 @ TODOS DIREITOS RESERVADOS